Sequestro, suspense e drama humano em uma história de piratas somalis

por max 13. novembro 2014 06:38

    

 

Sequestro (Kapringen), de Tobias Lindholm –melhor esclarecer antes de continuar – é um filme de 2012, enquanto que Capitão Phillips (Captain Philips) é de 2013. Ambos - também melhor esclarecer - falam sobre um barco cargueiro sequestrado por piratas somalis. Com isto quero dizer que, quando vir este filme, você vai entender como foi difícil colocar Lindholm em Hollywood, porque Sequestro apresenta, em tom de suspense, o drama humano que gira em torno deste tipo de horror da humanidade.

No caso desse filme dinamarquês, temos dois polos de ação: um é o cozinheiro do barco (Johan Philip Asbæk) e, o outro, o CEO da empresa (Søren Malling). O cozinheiro será utilizado pelos piratas somalis para servir de mensageiro em algum momento da história com a finalidade de tocar a fibra da família, dos sentimentos, da piedade, enquanto que o empresário será visto sempre firme, tentando manter a cabeça fria em uma negociação muito forte, que implica toda paciência do mundo por parte de sequestradores que não hesitam em usar a violência, a impiedade e a morte para atingir seu objetivo. Estamos diante de uma joia do cinema dinamarquês que mantém o suspense até o final.

Sequestro, sábado 15 de novembro, no Max.

O que você vê quando vê o Max?

Para reapresentações, clique aqui.


Etiquetas:

Geral

Comentar




  Country flag
biuquote
  • Comentário
  • Pré-visualização
Loading




arquivos
 

nuvem