Bem-vindo ao mundo, ou Penélope Cruz e as lembranças

por max 27. dezembro 2013 03:50

 

Penélope Cruz já havia trabalhado com o cineasta italiano Sergio Castellitto em Não Se Mova (Non Ti Muovere, 2004), filme baseado em um roteiro da esposa de Castellitto, Margaret Mazzantini. Em Não Se Mova, Castellitto também atuou e tinha uma relação apaixonada com uma mulher de poucos recursos de nome Italia. Claro, Italia era Penélope Cruz. Em 2012, a atriz, Castellitto e a esposa voltaram a se unir para realizar outro filme: Bem-Vindo ao Mundo (Twice Born). Com roteiro também de Mazzantini, Castellitto voltou a ter em suas mãos (ou melhor, desta vez, em frente às câmeras, pois neste filme Castellitto não atua) a atriz espanhola mais importante dos últimos tempos.

O cineasta volta a uma história de amor, de um amor quase impossível que aconteceu entre o passado e a guerra. Gemma (Penélope Cruz) voltará ao lugar onde se apaixonou por Diego (Emile Hirsch), onde sofreram com a impossibilidade de terem um filho, onde finalmente tiveram um filho e onde, também, morreu Diego: estamos falando sobre a Bósnia, da Bósnia que temos acesso em dois momentos, a dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1984 e do terrível conflito que teve início em 1992.

Gemma volta com seu filho já adolescente (interpretado por Pietro Castellitto, filho do cineasta) e vai recordando a história de seu amor, que ao mesmo tempo é a história da guerra. A recuperação da memória é a recuperação da vida. Lá, nessa memória, se misturam o caos e o amor, lá, com tudo o que isso implica, vai se aprofundando Gemma, interpretada com acerto e com toda sua gama de emoções pela atriz espanhola ganhadora do Oscar. Penélope Cruz demonstra mais uma vez seu talento, sua capacidade para um grande registro, para a beleza e para o drama, para o amor e a melancolia. E Castellitto, por sua vez, está muito bem neste drama que às vezes parece irregular em sua trama, mas centrado pela atriz e pelo tema de amor e de recuperação das lembranças deste amor.

Bem-Vindo ao Mundo, domingo, 29 de dezembro.

O que você vê quando vê o Max?

Para reapresentações, clique aqui.

arquivos
 

nuvem