Lado a Lado, ou Neo perguntado pelos artesãos

por max 10. dezembro 2013 14:42

 

É curioso: aquele ator que interpretou Neo na trilogia Matrix algum dia se perguntou pelo futuro do cinema analógico. Ou melhor, do filme, do formato 35mm e de todos os outros formatos que vêm em rolos. Keanu Reeves, um dos atores que melhor representam no mundo a metáfora de ser digital, de ser virtual, foi quem se preocupou. Neo quis saber e perguntou.

O filme vai acabar? O cinema, a película do cinema morreram? Assim pensou e saiu perguntando a todos e depois montou um documentário chamado Lado a Lado (Side by Side, 2012). Reeves foi o produtor e o entrevistador e Christopher Kenneally dirigiu.

Os entrevistados foram David Lynch, Martin Scorsese, Steven Soderbergh, David Fincher, Robert Rodríguez, James Cameron, Danny Boyle, entre outros.

O que responderam? Assim como indica o nome do documentário, parece haver um pensamento paralelo. Certa resistência, mas também uma total aceitação dos novos formatos, das suas possibilidades e de suas novas portas. Também a nostalgia se soma e a palavra "arte" abre suas portas. Como sabemos, a arte sempre tem uma vertente de significados que se detém na ideia do artesanal. É desse trabalho dedicado, detalhista e sereno que resultou algo feito a mão. Em Lado a Lado esse tema "artesanal" está ali e se confronta com os cineastas para gerar neles uma espécie de consciência de culpa, digamos, uma espécie de nostalgia do paraíso perdido que perturba suas mentes, apesar de eles terem se aberto completamente para o cinema digital. Neo veio do futuro e trouxe suas perguntas e os artistas responderam. Neste documentário, estão suas respostas.

Lado a Lado, terça, 10 de dezembro.

O que você vê quando vê o Max?

Para reapresentações, clique aqui.

Machete, O mocinho melhorado Danny Trejo

por max 26. abril 2012 07:34

 

Um dia, Danny Trejo entrou em uma loja de bebidas e, com uma granada na mão, assaltou o lugar. Era um garotão na época. Mas não um garotão corajoso. Com oito anos, já fumava marijuana e aos 12, usava heroína. Também ladrão e brigão, acabou hóspede de todos os reformatórios de Los Angeles. Filho de mexicanos, da pobreza, da delinqüência mas, apenas um a mais, naquela imensidão americana.

Trejo nunca imaginaria que os punhos o ajudariam a sair do abismo. E assim aconteceu: aprendeu a lutar nas ruas do Vale de San Fernando e, com o tempo, resolveu se dedicar ao boxe. A iniciação começou já na cadeia de San Quentin, onde virou campeão de peso leve das prisões. Seguiu o caminho da sanidade mental e do corpo que requer o boxe e também decidiu deixar as drogas. Entrou num programa de 12 passos e se reabilitou. Com a confirmação de que era impotente diante das drogas e consciente de que se deve viver um dia de cada vez, Trejo saiu para as ruas e se tranformou em ativista da sobriedade. Uma espécie de conselheiro espiritual daqueles que abusam das drogas.

Andava às voltas com esses assuntos, quando chegou ao set de Expresso para o Inferno (Runaway Train, 1985), de Andrei Konchalovsky. Fascinado pelo seu aspecto físico (alto, robusto, cheio de tatuagens e incrivelmente feio), o diretor lhe deu um pequeno papel e também um contrato para que ensinasse boxe aos atores. A partir desse momento, Trejo começou a se relacionar com o cinema. Ou o cinema com ele. Apareceu em vários filmes, como A Balada do Pistoleiro, Fogo contra Fogo, Con Air - A Rota da Fuga, Um Drink no Inferno. entre outros.. A biografia de Danny Trejo no IMDB registra a participação em 228 filmes. O que já ia bem começou a melhorar ainda mais quando conheceu Robert Rodriguez em A Balada do Pistoleiro. Passaram a trabalhar sempre juntos e descobriram que eram primos distantes. O primeiro protagonista veio aos 66 anos, quando encabeçou o elenco de Machete (2010), dirigido por Ethan Maniquis e Robert Rodriguez

Um louvor à violência excessiva, Machete é viagem alucinada a um mundo agressivo e sem misericórdia. Um ex-agente do FBI, Machete Cortez (Danny Trejo, claro), faz justiça com as próprias mãos e da maneira mais sangrenta possível. A diferença com outros filmes parecidos é que não estamos frente a um Charles Bronson, mas sim a um Danny Trejo — Machete Cortez é o primeiro herói mexicano. "É uma honra poder ser o primeiro super-herói mexicano. E nem precisei usar collants.", disse ele.

Assim é Danny Trejo, um ator duro, de poucas palavras, cheio de tatuagens, feio e com cara de poucos amigos. Em Machete, seu primeiro filme como protagonista estão Jessica Alba, Lindsay Lohan, Michelle Rodriguez, Steven Seagal, Don Johnson e até Robert De Niro. Quem não quer conhecer essa figura com cara de mau e que, na verdade, é um homem reabilitado?

Machete, nesta sexta-feira, 27 de abril. Reinvente, imagine de novo… Descubre o Max.

Para reapresentações, clique aqui.

arquivos
 

nuvem