Vejo Você no Próximo Verão, ou o grande amor no que é pequeno

por max 7. novembro 2012 15:13

 

Na cidade grande, em meio ao barulho e a fúria, um pequeno amor. O amor de duas pessoas solitárias, que vivem em Nova York, mas que não parecem pertencer a Nova York. Para quem vê de fora, suas vidas não foram feitas para o que é grandioso. Ele é motorista de limusine e, em seu luxuoso carro, fica com a impressão do esplendor fictício que dá às vidas que transitam com o veículo. Mas ele é ainda menos. Ele é o chofer, um ser de quem ninguém sentirá falta no mundo. Porém, quando outro ser solitário, uma garota, se aproxima dele, eles demonstram que não é preciso ser grandioso no mundo para ter um grande amor. Do pequeno pode surgir o grande, um grande amor que vem dos pequenos detalhes, das pequenas coisas da vida que fazem a felicidade. Vejo Você no Próximo Verão (Jack Goes Boating, 2010), primeiro trabalho como diretor de um dos maiores atores da atualidade, Philip Seymour Hoffman, é um filme que fica entre o grande e o pequeno e, em geral, o grande se dá assim, a partir do pequeno, da ternura, dessas atitudes pequeninas mas imensamente significativas que constituem o amor: aprender a nadar para levar a garota para passear em um barco, aprender a cozinhar para recebê-la (ninguém nunca havia dado a ele o prazer de cozinhar para ela).

Vejo Você no Próximo Verão é um desses filmes que se vê com um constante sorriso no rosto. Uma certa beleza, uma certa tristeza, assim como se fosse uma frase do I-Ching, um grande amor nasce nas pequenas coisas.

Vejo Você no Próximo Verão, nesta sexta, 9 de novembro. Reinvente, imagine de novo… Descubra o Max.

Para reapresentações, clique aqui.

arquivos
 

nuvem