O Detetive Bengali, ou seguindo as pistas da realidade

por max 21. agosto 2013 13:58

 

Pista número um: Não estamos falando exatamente de um filme de Bollywood. O Detetive Bengali (The Bengali Detective, 2011) é um filme dirigido pelo britânico Philip Cox. Embora alguns atores – se é que podemos chama-los de atores – são indianos. Não pense que verá os famosos galãs ou as incríveis belezas que Bollywood nos acostumou a ver. Em O Detetive Bengali tem pessoas reais, da vida real.

 

Pista número dois: Apesar do filme contar com um detetive particular que gosta de dançar – e que dança durante todo o filme – enquanto investiga casos em Calcutá, alguns complexos, como um triplo assassinato, outros simples, como o roubo de um xampu, não é uma dessas superproduções dos estúdios indianos, e sim um documentário. O mesmo Cox contou que o truque para filmar um documentário tão excepcional estava na escolha do elenco. Cox passou alguns anos buscando um personagem que seria o típico galã dos filmes indianos, alguém real, alguém de carne e osso e realmente interessante. E finalmente, um dia, encontrou Rajesh Ji.

 

Pista número três: Rajesh Ji é esse detetive particular que falamos. Segue sua carreira e sua vida em Calcutá, uma cidade com 15 milhões de habitantes, onde uma alta porcentagem de casos criminais não são resolvidos pela lei, o que deixa tudo nas mãos da população... e dos detetives particulares contratados pela população. Rajesh é movido entre duas águas: a legalidade e o crime, neste documentário que mistura comédia, suspense e comentário social. Ficção, realidade? Aqui se confundem, formam uma parte de uma estrutura complexa que Cox soube capturar com genialidade e que ganhou admiração do público e da crítica.

 

Pista número quatro: É comédia? É algo para rir? Talvez, quem sabe, a ternura e a compaixão estão ali presente. Mas o certo é que O Detetive Bengali é um assunto sério, cheio de drama, de miséria, de tristeza, de obscuridade da alma. O crime sempre é algo sério.

 

Pista número cinco: A realidade é complexa, a ficção também. Os personagens que estão na glória literária têm suas contradições. Holmes era viciado em drogas e louco, Senhorita Marple fofoqueira, se não me engano, Kurt Wallander, em Os Cães de Riga, sente vontade de usar o banheiro no meio de uma missão, ele entra em um arquivo criminal do governo estrangeiro, faz em uma lata de lixo e se satisfaz. Estes, naturalmente, são personagens já citados da ficção, complexos em seu modo de atuar. Rajesh, que é real, também é complexo e contrapõe o peso da realidade, da sua dura realidade, a sua intimidade familiar (sua esposa, seu filho pequeno) e também, a sua paixão pela dança. Por essas danças que vemos no filme. Bollywood não poderia fazer melhor, não é mesmo?

 

Pista número seis: Dentro do ciclo Benvindos a Bollywood, não perca este filme único e original, O Detetive Bengali, quinta 22 de agosto. Ficção, realidade, sociedade, crime, desespero, comédia, dança. O que você vê quando vê o Max?

 

Para reapresentações, cliquei aqui.

Etiquetas:

Geral

arquivos
 

nuvem