Em outubro, ciclo de Hayao Miyazaki

por max 6. outubro 2011 15:29

 

Em algum lugar li que Hayao Miyazaki é chamado o Disney japonês. Em certo sentido ele é, pelo seu sucesso, pelo seu nível de mestria. Mas o curioso disso tudo é o fato dele não ter aprendido precisamente da animação ocidental. Osamu Tezuka, conhecido como o Deus do mangá, o famoso criador de Astro Boy, fala que assistiu Bambi umas oitenta vezes e conhecia o filme de memória, quadro a quadro. Igual que para Tezuka, o estilo Disney tem sido objeto de veneração entre os animadores japoneses por muitos anos. Mas o caminho do jovem Miyazaki, quem começava a se apaixonar pela fantasia, se dirigia para um lugar diferente. Achava o Disney muito simples, superficial. Conseguia nesses filmes o ênfase realista, porém pouca emoção, ou, pelo menos, emoções e temas que ele achasse interessantes. O jovem Miyazaki era um garoto bastante inusitado. Estudou em Gokushuin, uma Faculdade de elite no Japão. Lá conseguiu se formar em Ciências Políticas e Econômicas (como o seu pai), mas também recebeu de sua mãe uma educação literária e humanista importante, muito crítica, e foi essa visão a que fez que logo se sentisse atraído pelo pensamento marxista na Faculdade. Também na sua época universitária, Miyazaki se uniu ao grupo de estudos de Literatura Infantil. Imerso nesse mundo de histórias fascinantes da tradição japonesa que faziam voar a sua imaginação, Hayao Miyazaki decidiu o seu caminho. Não seguiria os passos do seu pai, e se tornaria, definitivamente, animador. Assim, em 1963, depois de se formar (nasceu em 1941), começou a trabalhar na Toei Animation. Como muitas pessoas no Japão, começou de zero, ocupando um cargo menor. Mas logo se fez sentir. A televisão daqueles dias tinha tomado um impulso muito forte, mas, ao mesmo tempo, as produções estavam matando a qualidade do que se fazia. O mercado tornou-se mais importante do que fazer alguma coisa boa. E quando a companhia onde Miyazaki trabalhava decidiu receber propostas dos empregados para superar a crise, Miyazaki falou e sobressaiu. O primeiro filme resultado da sua contribuição foi Oji Horus No Daiboken (The Little Norse Prince Valiant). Nestas primeiras produções Miyazaki se preocupa muito pelo tema da qualidade. No entanto outras companhias reduziam o seu orçamento, ele e a sua equipe injetavam dinheiro ao projeto para fazer algo diferente, com maior valor artístico. 1973 começa com ele trabalhando para um novo estúdio chamado A-Pro. Com Miyazaki à cabeça do projeto se unem com Zuiyo Pictures para realizar a primeira série animada do Japão que utilizaria cenários de outros países: estamos falando nada mais e nada menos de Alps no Shojo Heide, ou simplesmente Heidi. No caminho viriam outros filmes, outros trabalhos importantes. No ano de 1985, depois da grande acolhida de Kaze no Tani no Nausicaä (1984), Miyazaki decide fundar junto com Isao Takahata o Studio Ghibli, companhia com a que tem continuado até hoje e que tem feito filmes como Tanari no Totoro (1988), Majo no Takkubien (Kiki´s Delivery Service, 1989), Porco Rosso (1992), Heisei Tanuki Gassen Pompoko (1994), e, obviamente, Sen to Chihiro no kamikakushi (2001), também conhecida como As aventuras do Chihiro, ganhadora do Oscar como Melhor Filme de Animação. Em todos esses filmes, o cineasta tem se caraterizado pelas suas temáticas ecológicas e antibelicistas, e por misturar a tradição japonesa com um elevado mundo de fantasia produzindo mundos extraordinários, cheios de beleza, ternura e magia. Miyazaki é um autor, um mestre da exigência, da arte, da imaginação. Quando a gente assiste um dos seus filmes tem certeza e o diz de imediato: "Esta é do Miyazaki".

Em outubro, Max tem o prazer de apresentar dez (10) filmes de animação onde a influência do grande mestre Miyazaki tem tido um papel fundamental. De segunda a sexta, e com repetições no dia sábado de todas as projeções da semana, poderás desfrutar da técnica de Hayao Miyazaki. Eis aqui a lista dos filmes e suas datas:

Segunda-feira 17: A Princesa Mononoke. Terça-feira 18: Nausicaa – A Princesa do Vale dos Ventos. Quarta-feira 19: Pompoko – A Guerra dos Guaxinins. Quinta-feira 20: O Serviço de Entrega de Kiki. Sexta-feira 21: Porco Rosso. Sábado 22: Pompoko – A Guerra dos Guaxinins, O Serviço de Entrega de Kiki, Nausicaa – A Princesa do Vale dos Ventos, A Princesa Mononoke, Porco Rosso.

Segunda-feira 24: O Castelo no Céu. Terça-feira 25: Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar. Quarta-feira 26: Sussurros do Coração. Quinta-feira 27: Only Yesterday. Sexta-feira 29: Meu Amigo Totoro. Sábado 30: Only Yesterday, Sussurros do Coração, O Castelo no Céu, Meu Amigo Totoro, Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar.

arquivos
 

nuvem