Dupla rodada de Tom Tykwer, as coincidências e o destino

por max 9. outubro 2012 03:51

 

O diretor alemão Tom Tykwer é fascinado pelo destino, pelas coincidências e mundos paralelos. Ele já disse que o primeiro filme que marcou sua vida foi Peter Pan, da Disney. Uma história que transcorre, sem dúvida, em um mundo totalmente paralelo: em Neverland, a Terra do Nunca.

A Viagem (Cloud Atlas, 2012), o mais recente projeto de Tykwer, ao lado dos diretores Andy e Lana Wachowski, observa como as ações individuais de cada vida causam impacto umas nas outras no passado, no presente e no futuro. Claro, o filme que o alçou à fama: Corra Lola, Corra (Lola Rennt, 1998) gira, do começo ao fim, em torno de uma ideia: é uma produção feita a base de exercícios de estilo, mas, sobretudo, de exercícios narrativo-quânticos. Lola transita, caminha por coincidências, pequenos eventos, ligeiros desvios, que produzem narrativas variantes, universos múltiplos paralelos, a partir de onde Lola terá que seguir correndo, teimosa e incansável, com o único objetivo de salvar seu amor.

 

 

Em A Princesa e o Guerreiro (The Princess And The Warrior, 2000), talvez, até o momento, seu longa-metragem mais perfeito e que pode ser considerado mais "de autor", Tykwer volta-se para suas obsessões: universos paralelos, destinos, coincidências, eventos pequeníssimos que marcam a vida, amores perdidos, delinquência "justificada" e, inclusive, Franka Potente.

Tudo isso que vimos em seu filme anterior está também em A Princesa e o Guerreiro, mas, desta vez, o tema épico é contado de uma maneira intimista, delicada, surrealista em alguns momentos, dando lugar a uma peça cinematográfica que não se repete e que, ao mesmo tempo, é única.

Franka Potente (ela é Sissi, aquela princesa real de vida trágica) e Benno Fürmann se encarregam de colocar as coincidências existenciais que resultam mais proverbiais que aleatórias nesta história que poderia ter tido a mesma correria de Corra Lola, Corra, mas que, o cineasta, com muita intuição artística, deu uma guinada do território do melodrama surpreendente, carregado de suspense, loucura e, se me permite o termo, delicadas abjeções.

Nesta quinta-feira, o Max apresenta uma dupla rodada de Tom Tywker, mais precisamente com dois desses filmes sobre os quais falamos e que retratam de forma enfática seus temas e obsessões: A Princesa e o Guerreiro e Corra Lola, Corra.

São dois filmes fundamentais de um diretor moderno, afiado e criativo, um atrás do outro, nesta quinta-feira. E só poderia ser no Max.

Reinvente, imagine de novo… Descubra o Max.

arquivos
 

nuvem