Vida Sem Destino, ou o terror da pobreza

por max 28. julho 2011 06:59

 

É terror, o que você sente é terror. E graças a Deus eles não fizeram um filme chamado Being Harmony Korine, porque a mente do escritor e diretor nascido em 1973 não deve ser um lugar muito agradável para visitar. A do Malkovich, tudo bem, mas a do Harmony. Em 1995, ele estreou como roteirista com o filme Kids de Larry Clark, uma história crua sobre um grupo de adolescentes no contexto do mundo do skateboard, da promiscuidade e do AIDS. Kids apresentava uma visão pessimista da juventude americana. Não havia esperança, havia apenas decadência e loucura. Pensar que as crianças podem ser assim, acreditar que o futuro não tem esperança, assusta, produz muito medo. Mas Harmony não se contentou em semear esses terrores, e dois anos depois, jogou Vida Sem Destino (Gummo) na nossa cara. Com seu primeiro longa-metragem, o jovem cineasta retorna para nos mostrar uma história povoada por garotos em um contexto tribal, em alguns casos familiar (se é que "família" é a palavra certa, eu duvido), em uma história fragmentada, sem centro, sem enredos que guiem o curso, muito ao estilo documentário mesmo. Korine, mais uma vez entra na escuridão da alma, pois ele usa a metáfora de um tornado. Uma cidade devastada por um furacão que também arrasou com o espírito, com a alma de quem vive lá. Pessoas destruídas, pessoas perdidas no vendaval letal do tempo e no esquecimento suburbano. Onde o não existe o futuro ou a tecnologia, nem o bem comum corporativo e também não chegam as ações humanitárias, a salvaguarda do ambiente, a moralização dos negócios e da política, onde não há debate sobre o assédio sexual, nem sobre o aborto, ali não importam as Cruzadas dos valores do espírito da responsabilidade dos governos e empresas, neste lugar esquecido da grande sociedade de progresso, ali residem esses seres, na profunda lama dos instintos. Nada está entre eles e a libertinagem, porque num lugar devastado e esquecido as estruturas não estão na disputa, porque a lei é uma referência distante. Vida Sem Destino é assustador, causa terror, porque Harmony Korine mostra as faces do penhasco, do lugar onde vai parar o lixo da sociedade brilhante, aquilo do que ninguem gosta, o que ninguem quer, porque não produz, porque não é bonito, porque nasceu com um gene defeituoso, não se alimentou bem ou porque seu cérebro não se desenvolveu como deveria. O garoto feio da casa, que mora no quarto dos fundos, com o que vão dar uma caminhada quando não há visitas, isso é Vida Sem Destino.

Vida Sem Destino, na sexta-feira 29 de Julho, na Max.

Clique aqui para outras exibições.

arquivos
 

nuvem