Em Busca de Redenção ou pelas estradas com Hugo Weaving

por max 15. agosto 2011 02:23

 

Em Busca de Redenção (Last Ride, 2009) é um filme de estrada (road movie), mas a paisagem não é a dos Estados Unidos, pátria dos filmes de estrada. As formas deste filme percorrem as enormes terras do outback australiano, mostrando uma natureza magnífica, raramente amostrada e apreciada. No entanto, no filme não há lugar para a serenidade do olhar. A essência dos filmes de estrada é se mover em direção à violência, em maior ou menor grau, dos homens e das paisagens. Aqui a violência é gerada a partir do personagem interpretado por Hugo Weaving, um criminoso, um pai violento que foge e leva seu filho pelas enormes rotas da Austrália. Weaving, ator de talento comprovado, é mais conhecido nestas partes do mundo através da saga de O Senhor dos Anéis e a trilogia dos irmãos Wachowski. Lembre-se que The Matrix é de 1999. Naquele ano, começaria a jornada de Weaving como o agente Smith, e o público iria atrás da trilha do ator que fascinava no papel de inimigo cibernético. O primeiro filme de O Senhor dos Anéis data de 2001. Weaving interpreta um personagem totalmente diferente: o elfo Elrond, sereno e sábio. No entanto, podemos dizer que na América um público menor e especializado em cinema já havia conhecido algum tempo antes um filme independente australiano: The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert (1994), uma comédia também na paisagem australiana (outro filme de estrada muito original e divertido), onde Weaving desempenha uma delirante drag queen. O filme foi tão bem-sucedido no circuito de cinema de arte, que Hollywood faria no ano seguinte a sua própria versão, é lamentável que, sob o nome de To Wong Foo Thanks for Everything, Julie Newmar. Claro, Weaving não estaria no elenco, não era digno, não era famoso o suficiente. Os heróis do desastre seriam: Wesley Snipes, Patrick Swayze e John Leguizamo. Mas voltando para Weaving, embora o público americano e os críticos tenham colocado o olho nele, Weaving já era um ator de cinema de renome na Austrália, seu país, com filmes australianos como Proof, 1991 ou The Interview, de 1998. Honrado como ator com o equivalente ao Oscar da Austrália, Weaving, foi desde o início um intérprete com o caminho aberto para a fama. Não é de admirar então que Hollywood lhe desse papéis de peso. Com Em Busca de Redenção, o ator retorna às suas instalações australianas, para realizar esse, como conversávamos, road movie particular que é complementado por uma variante também excepcional na história da aprendizagem, um vertiginoso bildungsroman centrado, naturalmente, no personagem de Chook (Tom Russell), o filho, que é submetido à fúria de um pai criminal que está lutando entre o dever de pai e sua escuridão interior.

Poética e violência, e até mesmo a poesia de violência combinada com o excelente desempenho de Weaving (e não devemos esquecer do menino) para assistir um drama forte, cru e belo ao mesmo tempo.

Em Busca de Redenção, terça-feira 16 de agosto, na Max.

Clique aqui para outras exibições.

Etiquetas:

Geral

arquivos
 

nuvem