De quinta a domingo, ou a herança dos pais

por max 15. junho 2013 09:51

 

Somos o que nossos pais fazem de nós. Somos o espelho e somos a imagem no espelho, somos o presente desse passado, somos o que vemos, somos o que eles foram. De Quinta a Domingo (De Jueves a Domingo – 2012), primeiro longa da chilena Dominga Sotomayor é um drama que está parado em um tempo de ser, no estabelecimento de um momento que marcará para sempre a vida de um casal de crianças, especificamente Lucía (Santi Ahumada), a filha mais velha de um casamento que está prestes a acabar.

Trata-se de pequenas férias, que serão de quinta a domingo, mas que marcarão definitivamente o futuro desta família, desta menina. Ana (Paolo Gianni) e Fernando (Francisco Pérez-Bannen) estão rpestes a se separar, mas decidem fazer esta última viagem com as crianças. Eles, os filhos, não sabem da separação. Mas ao longo do caminho, Lucía vai percebendo o que está diante dela, no motorista com a passageira, nas conversas cifradas, nos olhares, incluindo os silêncios.

Não poderíamos dizer que se trata de um filme de crescimento, pois tudo o que viverá Lucía e seu irmão é apenas o início de uma história que começa e que paira nesses dias de férias. Também não é road movie no estilo americano, mas é uma viagem, uma viagem que tem um destino, é claro, mas não se pode deixar de saber, onde vão essas pessoas, porque estão juntos nessa estrada, qual o destino que os une, porque o poder superior os colocou juntos nessa vida.

De Quinta a Domingo, sábado 15 de junho. Cinema latino-americano, família, road movie, solidão. O que você vê quando vê o Max?

Para reapresentações, clique aqui.

 

arquivos
 

nuvem