Branco Como a Neve, ou as influências e a neve

por max 20. junho 2013 14:39

 

Sem dúvida, tradição é importante. Nesta tradição tem imagens fortes, que influenciam a mente dos artistas. Branco Como a Neve (Blanc Comme Niege, 2010), de Christophe Blanc, lembra irmãos Coen e a neve de Fargo – Uma Comédia de Erros (Fargo, 1996). Os Coen usaram a neve como metáfora, como uma imagem da fragilidade das coisas. A neve, algo tão bonito, tão puro, tão brilhante, não é mais que uma superfície suave, frágil, fácil de sujar e, neste caso, por um tolo empresário falido que contrata um casal de bandidos. Para os irmãos Coen, a neve é o cenário dos mais terríveis atos. Blanc usa a mesma imagem no thriller Branco Como a Neve, que retoma a neve para a história de um homem rico (empresário do ramo automotivo) envolvido numa confusão com a máfia. Para sair dessa confusão, ele procura seus dois irmãos, duas bestas que, claro, não vão fazer as coisas direito. A influência dos Coen está lá e Blanc assume esse desafio (o título francês joga com as palavras: "Blanc Comme Neige", quer dizer, Blanc é o sobrenome do diretor, que se torna negro, adota o gênero noir (negro), mas o gênero noir estilo Coen). Excelente, o filme franco-belga tem excelentes atuações de François Cluzet, Olivier Gourmet e Jonathan Zaccaï. A neve é como a floresta, a floresta é como a neve, esse antigo lugar onde está o caos, o desconhecido, onde o homem se perde, onde o homem encontra os demônios, o mal, a escuridão. A neve tão pura, tão perigosa.

Branco Como a Neve (White As Snow), sexta-feira 21 de junho. Suspense, imagens de tirar o fôlego, cinema europeu. O que você vê quando vê o Max?

arquivos
 

nuvem