Limelight, um documentário magnífico, que mostra o auge e a decadência de uma das discotecas mais famosas de Nova York

por max 9. maio 2014 05:48

 

A história e a vida das cidades estão em seus espaços, em seus lugares e naquilo que aconteceu nestes lugares. O documentário de Billy Corben, Limelight (2011), conta a história de um destes lugares, em uma das cidades mais agitadas do planeta, Nova York. Trata-se, como o nome já diz, da discoteca Limelight, talvez o templo noturno mais importante de Manhattan durante os anos oitenta, época caracterizada pelo hedonismo e pelo auge das drogas pesadas, como a cocaína. A Limelight foi um dos locais da moda que pertenciam a Peter Gatien, um canadense com um tapa-olho, que dominou a vida noturna de Manhattan com discotecas como Tunnel, Palladium, Club USA e, a mais famosa, Limelight. Claro que, quando falei "templo" mais acima não era só para usar uma palavra bonita, mas falei "templo" porque a Limelight era uma velha igreja que Gatien reformou.

Nesta igreja psicodélica foi parar toda a fauna noturna da cidade, misturados sempre com os vendedores de drogas. Muita gente apontou Gatien como a mente daquele negócio ilegal e, em certo ponto, "contracultural". Através de documentários como Cocaine Cowboys (2006) e Cocaine Cowboys 2 (2008), Corben trabalhou o tema profundamente, por isso conhece muito e o desenvolve bastante em Limelight, onde também, em certo momento, ele fala da chegada do famoso Rudolph Giuliani, que era fiscal de Nova York nos anos oitenta (e depois prefeito nos anos noventa). Giuliani tinha entre suas principais lutas políticas a erradicação das drogas e a alta delinquência em Nova York. Gatien — peixe gordo — e suas casas se transformariam no alvo da perseguição deste político tenaz.

Limelight chega a tudo isto através de entrevistas e imagens de arquivo, da exploração de um momento histórico e leva a uma maneira de entender o mundo a partir da cidade e de seus espaços.

Limelight, um documentário intenso, interessante e principalmente divertido, terça, 13 de maio, no Max.

O que você vê quando vê o Max?

Para reapresentações, clique aqui.

Etiquetas:

Geral

arquivos
 

nuvem